História da Maquiagem – Túnel do Tempo – Parte II – Anos 20

Século XX

Foi com a revolução industrial (no século XIX) e a indústria de cinema (durante o início do século XX) que os cosméticos, principalmente a maquiagem se tornaram mais acessíveis a todas as camadas da sociedade.

Anos 20

Somente na década de 20, a maquiagem passou a cumprir o papel de embelezar as mulheres e foi revolucionário, caracterizado por olhos sofisticados e provocantes! Foi nessa década que o Batom (como conhecemos hoje) foi “inventado”! O ícone de beleza da época era COCO CHANEL. As principais características desta época são: os cabelos curtos, chapéus, olhos contornados de preto, sobrancelhas cuidadosamente delineadas e lábios vermelhos!

Anos20_TT

Resolvi criar um look inspirado no maior ícone da época: Coco Chanel

IMG_9179

Olhos pretos esfumados e boca vermelha!

DICA: Para arrasar com uma boca vermelha impecável, experimente vermelhos mais “fechados” como:

RED – Mary Kay

MONTE CARLO – Soft Matte MYX

MIDNIGHT – Dermage (este foi o escolhido para o look que eu criei!)

IMG_9180

Super beijo e até semana que vem! 😉

     #MaryKay #NYX #Dermage #Anos20 #20’sMakeUp

Desafio um batom por dia – Semana 6

Mais um resumo de semana atrasado por motivos de: pré-carnaval + carnaval.
A verdade é que minhas sextas-feiras têm sido muito mais agitadas que o normal e não estou conseguindo parar para fazer os posts 😦 ! Mas com fé, uma hora eles saem \o/ !

Bom, além disso, me dei uma pausa de alguns dias no desafio, até porque em Ribeirão do Sul (cidadezinha de 4 mil habitantes onde fui passar o carnaval) a internet não é assim uma Brastemp e também não tinha necessidade de “gastar” batom para ficar de pijama em casa, certo?

Como essa semana vai ser curtinha de batons (quarta, quinta e sexta) ainda estou decidindo se deixo o resumão pra próxima semana, ou se faço um resuminho na sexta mesmo. Vamos ver o que rola! Enquanto isso:

Dia 25

Dia 25 – Power da Nyx
Probleminhas dessa cor linda? Os de sempre, adivinha: acabamento brilho, não dura nada, transfere horrores para canecas e copos e tem que ficar reaplicando algumas vezes (o que me deixa mais irritada, porque ele tem aquele efeito “óleo” ou sei lá que deixa a boca meio escorregando até começar a secar). Plus, tem um perfuminho esquisito que parece que passei sabão na boca. Poxa Nyx, faz assim não, gosto tanto de você <3.

Dia 26Dia 26 – Amora Mate da Contém 1g
Se eu falar (de novo!) que os batons mate da Contém 1 g são só amor, vocês vão achar que eu tô querendo virar garota propaganda deles ou algo do tipo? hahaha, juro que são meus favoritos e nunca decepcionam. A única tristeza em relação a essa cor é que ela está para vencer então logo, logo vai ter que ir pro lixo. (Não pode durar pra sempre?)

Dia 27Dia 27 – Número 36 da Vult
Ok. Passado meu stress do dia 14 com a cor 49 da Vult, eu dei outra chance pra marca com o coração mais aberto. A embalagem continua precária e quebrando na bolsa por aí, mas adoro esse tom de rosa cor de doce! A durabilidade é boa e passa até no teste do almoço, mas é bom reaplicar logo em seguida se precisar dos lábios coloridos até o final do dia. Vai ver é o acabamento mate que sempre amansa me coração.

Dia 28Dia 28 – Honey Love da Mac
Nesse dia eu percebi que tinha usado rosa a semana toda e achei melhor mudar a cor, né? Aliás, já contei que esse desafio quase chamou 50 tons de rosa?
Não me lembro muito bem quando comprei essa cor, mas aposto que o que deve ter me ganhado foi o nome numa busca por um nude diferente. Não me dou muito bem com os nudes, porque sempre sinto que fiquei um pouco pálida demais. Ou então vai ver essa não é a cor pra mim, mas enfim! Gosto dela e vez ou outra marco mais os olhos pra usar. É Mac, é mate, é amor!

Dia 29

Dia 29 – Shiver da Victoria’s Secret
Minha tentativa de sair do rosa foi frustrada quando esse roxão (como vocês podem ver na foto) virou quase um amora (dia 26) versão brilho . 😦
Não me lembro de ter percebido isso no dia que comprei; lembro de pensar “uuuh, a Victoria’s Secret tem batons?” e me apaixonar por essa cor, mas olhando bem pra ela agora. Acho que não era nada demais haha. Mulher tem dessas coisas, né?
A cor não durou muito e logo depois do almoço já tive de reaplicar, mas rosa é rosa e eu sempre tenho um lugarzinho no meu coração!

 

 

 

História da Maquiagem – Túnel do Tempo – Parte I

Bom dia, meninas!

Estreamos hoje a nova coluna semanal de maquiagem do Doce Crise, todas as quintas uma novidade! Começaremos com um túnel do tempo contando a história da maquiagem ao longo dos anos. 🙂

Vamos lá?

 

Os primórdios…

Há cerca de 10.000 a.C, os antigos egípcios estavam em processo de desenvolvendo e descoberta dos cosméticos que serviram e ainda servem como base para a maioria dos produtos de beleza que usamos hoje.

Durante todo os períodos das dinastias os antigos egípcios, tanto homens como mulheres, aplicavam maquiagem nos olhos como um pré-requisito diário. Não serviam apenas como finalidade decorativa, mas também fins medicinais, funcionando como ótimo repelente, fungicida e como proteção contra a poeira do deserto evitando assim doenças oftalmológicas.

As cores de maquiagem dos olhos mais populares, entre os antigos egípcios, eram o verde e o preto. A cor verde era aplicada nas pálpebras inferiores, enquanto o preto ou cinza escuro sobre as pálpebras superiores e cílios.

Egípcia_TT

A maquiagem era delineada em torno da área dos olhos com uma cauda expressiva que se estendia até os cantos externos dos olhos. Esta prática foi adotada mais tarde pelas mulheres da sociedade ocidental para destacar e escurecer os cílios antes da invenção do rímel.

Cerca de 100 d.C., os romanos começaram a usar manteiga e pó de cevada para se livrar das espinhas. O povo da Índia começou a usar Henna por volta de 300 d.C., como uma maneira de tingir seu cabelo, bem como para a decoração religiosa do corpo. Na Inglaterra, na Idade Média, era comum as mulheres tingirem os seus cabelos de vermelho e usarem claras de ovo em seus rostos para destacar seus cabelos.

Durante o Renascimento, só a aristocracia fazia o uso de cosméticos. E  as mulheres europeias começaram a usar uma variedade de produtos, e o cabelo loiro se tornou mais popular depois, devido à sua aparência angelical.

Em meio a diversos acontecimentos, entre os séculos XVI e XVIII, a coloração dos lábios foi proibida pela Igreja, o Cero associou os pigmentos avermelhados aos rituais satânicos. Nesta época o batom era item relega às mulheres de classes sociais mais baixas, principalmente as prostitutas… Em decorrência disso, a maquiagem perdeu alguma popularidade e foi apenas aceitável para uso, por atores.

No Reino Unido, após a morte da Rainha Vitória entra a era Edwardian ou Eduardiana, por volta dos anos 1900, a maquiagem então reconquistou a sociedade. Como anfitriãs, as mulheres deveriam ter uma aparência jovem. Elas se voltaram para comprar cosméticos em salões de beleza, totalmente em segredo, para evitar que ninguém soubesse que elas precisavam dos produtos para parecerem mais jovens.

Gostou? Então você não pode perder os próximos posts! Iremos falar da maquiagem ao longo das décadas do século XX até chegar nos dias de hoje!!!!

DICA: Quer arrasar com um olhão igual ao da Cleópatra? Que tal experimentar o Lápis Super Preto da Contém 1g e a sombra Humid Mac, da M.A.C.lapis superpreto contem 1g

B4Q2908-maquiagem-sombra-verde-como-fazer

Beijos e até semana que vem!!!

Primeiros livros de 2015

Por trabalhar com livros, muita gente imagina que nós editores somos uma máquina de leitura e que, praticamente, absorvemos os conteúdos de todos os livros por osmose num simples passeio a livraria! Acreditem, todos nós da cadeia de livros queríamos mesmo ter esse superpoder, mas infelizmente ainda não é realidade. 😦

Para mim, na verdade, é justamente o contrário. Infelizmente, me sobra pouco tempo para ler tudo o que eu gostaria e a pilha ao lado da cama só vai aumentando. Mas não vim falar da minha vida corrida e da falta de tempo, vim falar um pouquinho dos primeiros livros que li em 2015!

20150125_232024_20150208234541138

Por ordem de aparência: O livro do corpo, Cameron Diaz; Morreste-me, José Luís Peixoto e Manual prático de bons modos em livrarias, Lilian Dorea (ou Hillé Puonto).

Eu tinha planejado escrever sobre O livro do corpo por último, porque foi o livro que mais me “fisgou” dentre os três, mas a pessoa aqui tem um pouco de TOC e ia ter insônia com essa descontinuação. Não é segredo para ninguém que eu sempre tive (e ainda tenho!) problemas com o meu corpo, com a minha auto estima e com a forma como eu me vejo (vide desabafo aqui).  É engraçado, porque até mesmo agora, quando parei para reler meu desabafo, vejo que o pensamento ainda é muito parecido, apesar de o tempo ter passado.

Lembro de ter  tido um pouco de preconceito quando ouvi falar que a Cameron Diaz tinha escrito “um livro do corpo”. Pensei “claro, olha só pra ela: linda e magra a vida toda. Assim é fácil.”  E ela começa o livro justamente dando um tapa na cara de quem pensa assim. 🙂 É verdade, ela sempre foi magra! Mas não se alimentava bem, estava sempre sempre indisposta e com a pele ruim. Sentia tonturas, fraquezas, e também era muito criticada, mas por ser “magra demais”.

O livro é dividido em três partes: Nutrição, Fitness e Mente e com a ajuda de especialistas ela conta direitinho como mudou os hábitos alimentares e melhorou a saúde. Se você estiver procurando um livro de receitas light e dietas milagrosas para perder peso rapidamente, esse NÃO é o livro que você procura!

Tudo é narrado em primeira pessoa, e a sensação é de estar batendo um papo mesmo com ela para aprender a amar e nutrir o corpo da melhor forma possível! Eu não vou dizer que por ter lido o livro já estou magra, linda e satisfeita, mas confesso que me ajudou MUITO a perceber como  meu corpo reage a certos alimentos. Minha relação com a comida tem sim sido bem diferente depois do livro, vejo tudo com outros olhos. Recomendo! 🙂

Desde que conheci a Vitória, sempre  a escuto falar sobre o José Luís Peixoto  e o quanto ela é apaixonada pela forma como ele escreve. Não é para menos, peguei o Morreste-me emprestado e devorei no mesmo dia. Mas já aviso, leiam em algum lugar onde possam chorar descontroladamente e dar pausas a cada cinco minutos para uma boa suspirada. Apesar de ser curtinho, o livro é quase um diário de tão sinceros que são os sentimentos postos ali. Foi escrito depois que o autor perdeu o pai e nas páginas estão as memórias mais lindas e doloridas… como, por exemplo, quando ele encontra entre algumas coisas um cartão que ele mesmo tinha feito e dado de presente para o pai quando era criança… é de partir o coração, mas com as palavras mais delicadas e lindas!

Completamente oposto ao sofrimento do livro anterior é o Manual prático de bons modos em livrarias que surgiu à partir do blog da Lilian Dorea. A autora trabalhou em livraria por cinco anos e, como ela mesma diz no blog, “enlouqueceu na maior parte do tempo”. O livro é uma coletânea de ~causos~ e atrocidades que você nunca imaginaria que acontecem em livrarias! Perguntas como “Oi, vocês vendem livros aqui?” ou “Tem o livro novo do Shoyu? (aka Osho…)” é só o começo do tipo de loucura que esses lindos desses livreiros passam e que ela descreve com uma dose (muito boa!) de ironia e bom humor. Também li em dois dias e dei MUITA risada!

Desafio um batom por dia – Semana 5

Falhei na missão, gente! Brincadeira, só o post de sexta que está saindo no domingo à noite. XD

Sexta-feira foi um dia suuuuper corrido e caótico e acabei não conseguindo parar um pouquinho para escrever as resenhas e postar pra vocês. Mas cá estamos e vamos ao que interessa:

Dia 20

Dia 20 – Sedução do Boticário
Resolvi começar a semana com um vermelho para ver se entrava no pique, porque lembro direitinho que acordei moooorta de preguiça. Parece que eu estava prevendo uma semana hardcore!
Ganhei esse batom de presente em um amigo secreto do meu grupo de jazz. Adoro a cor e textura nos lábios. A durabilidade é ok, não passou no teste do almoço e tive de retocar porque depois de comer saiu quaaase tudo.

Dia 21

Dia 21 – Fig da NYX
Adoro essa cor, mas guardo um pouco de rancor dos batons de acabamento brilho da NYX. Amo, amo, amo a marca e a variedade de cores, mas a textura e consistência dos batons brilhantes é esquisitinha (sou chata, me perdoem!), sinto sempre que estou passando algum tipo de manteiga derretida na boca, os lábios ficam escorregando e eu olho no espelhando a cada 5 minutos para ver se a cor ainda está lá. O ponto positivo é que apesar da paranoia ele até que dura bem! Depois que “seca” tudo se resolve. 🙂

Dia 22

Dia 22 – Tangerine da Payot
Quando abri esse batom essa semana, fiquei um bom tempo pensando como ele veio parar nas minhas coisas. Acho que ganhei de presente ou veio em alguma das milhões de caixinhas da GlamBox que já recebi, a verdade é que me espantei porque não lembrava da cor e fiquei apaixonada por ela! Ele estava com tanta carinha de novo que acho que na verdade eu nunca tinha usado. Apesar  da cor ser maravilhosa e o batom ter durado uma boa parte do dia, o GRANDE problema dele é: gosto de produto químico. Eca, eca, eca! Antes que alguém pense “não tava vencido?”, não, não estava. E o gosto ficou na boca uma boa meia hora o que quase me fez voltar atrás e tentar outro! Poxa, Payot, em 2015 não pode mais batom com gosto de caca, ok?

Dia 23

Dia 23 – Malva Mate da Contém 1 g
Já usei taaaaaaantas vezes esse batom! ❤
Ele é, absolutamente, um dos meus favoritos da vida! Adoro a cor, adoro que é mate, adoro que ele dura quase o dia todo e passa no teste da comida. Só amor no coração pra esse batom! Aliás, a contém 1g é uma das minhas marcas favoritas para batons mate. Nunca me arrependi!

Dia 24

Dia 24 – Vintage Intenso da Contém 1g
E pra fechar a semana bem, resolvi repetir o amor pela Contém 1g, mas dessa vez com um batom de acabamento acetinado (assim vocês não acham que eu só gosto de mate haha). O nome dessa cor foi o que me chamou a atenção na loja. Esse é um daqueles batons que a gente precisa passar algumas camadas para ver de verdade o efeito que ele dá; a primeira não cobre tudo e fica um pouco estranha, mas lá pela terceira já dá para ver todo o potencial da cor e aí é só love ❤ !

Amanhã começamos de novo! 🙂
Boa semana!

Desafio um batom por dia – Semana 4

Essa semana foi uma loucuuuura, Brasil! E só consegui parar agora para fazer o resumo da semana. Acho que dá pra perceber que o nível da maquiagem vai totalmente de acordo com o meu humor, né?
Mas vamos lá que já são quase vinte dias de desafio e até agora não perdi um! 🙂

20150126_065836

 

Dia 15 – Teddy Bear – Maybelline
Lembro direitinho de ver um vídeo da Julia Petit numa noite e no dia seguinte entrar na primeira farmácia que apareceu na minha frente para ir atrás dele. É um marronzinho rosado tão, tão lindinho! ❤
Fora esse nome fofo que também me conquistou no dia que vi o vídeo. Acho ele perfeito pra segundas-feiras que é quando eu geralmente estou com um pouco de preguiça, mas não tanta a ponto de não usar nada!
Acabamento mate e não dura tanto quanto eu preciso, mas não me incomodo em ter de retocar de vez em quando. 🙂

20150127_065421

Dia 16 – Tea Rose da Nyx
Um dos meus tons de rosa favoritos! Especialmente no inverno pra usar com uma sobra marrom.
Mas é claro que o Brasil não tá dando trégua no calor então a gente inventa outros jeitos de usar!
Adoro a textura dele, dura bastante e tem aquele acabamento mate (porém hidratante!) que já comentei em outros batons da Nyx.20150128_070553
Dia 17 – Heroine da MAC
Fiquei apaixonada por esse batom desde o dia em que vi uma foto de uma amiga minha usando. Para a minha tristeza ele estava esgotado no Brasil e para minha felicidade minha irmã trouxe do Dutyfree voltando de viagem na terça-feira! Não resisti e quis usar logo no dia seguinte.
Minha profissão me permite “ousar” um pouquinho mais nas cores e esse batom me rendeu até pontos positivos com uma autora durante uma reunião, mas não recomendo para usar de manhã para quem tem uma profissão mais “séria”.
A boa notícia para quem quiser é que uma amiga encontrou hoje o batom na MAC do Shopping Morumbi! #todascorre
É MAC, é minha marca favorita para batons, a textura é ótima e dura ETERNAMENTE! Sério, gente, oito da noite e eu ainda de boca roxa!

20150129_070344

Dia 18 – Berry Smoothie da Revlon
Já dá pra ver que depois de quarta-feira meu humor começou a despencar?
Meu olho já todo caído e cansado… mas ok, ok: foca no batom!
O dia que inventarem batons brilhantes que não fiquem pegajosos na boca eu vou amar! Essa cor foi uma surpresa boa, porque não me lembrava bem dela e achei linda, linda, linda! Não dá para ver bem nas fotos, mas o batom é cheio de glitter.
Problema: passar esse batom, estar de cabelo solto e um vento bater. GENTE, é batom na cara toda! Por isso aproveitei pra usar coque. 🙂

20150130_092905

Dia 19 – Sand Shimmer – Maybelline
Quem viu meu post no instagram hoje deu de cara com a seguinte frase: “Hoje é sexta, essa semana foi puxada, eu tô mal humorada, não passei base, nem BB Cream, essa cor é detestável e vai direto pro lixo haha!”
E vai mesmo, gente! Que batonzinho horrendo! Foi a segunda sexta-feira seguida que errei e detestei o batom. Esse é um daqueles casos que eu penso “por que em nome de Jesus eu tenho isso?”, deve ter sido um presente ou sei lá o quê. E vai pro lixo, não só porque eu detestei a cor, mas também porque está prestes a vencer! Se não estivesse podia até pensar em alguma amiga que ficasse bem com a cor e dar de presente.

Boa sexta e que o final de semana renove todos nós, porque MEU PAI, hoje foi difícil…!

Desafio um batom por dia – Semana 3

Pra começar, eu acho que não me planejei bem pra esse desafio e gastei a maioria dos meus batons queridinhos no começo (o que não é nenhum drama pra quem tem 54 cores. Ficar sem opção eu não vou, certo?). O problema é a saudade (é, gente, saudade!) daqueles que eu costumava usar mais! Mas a ideia era justamente essa, tirar as cores menos amadas do armário e botar todos em uso, até pra começar a pensar o que eu vou fazer com aqueles batons que eu tenho e não gosto (sugestões?). Vamos lá:

Dia 10Dia 10 – Pink Plaid da Mac
Ah! Como eu amo os batons da Mac. Não tenho nem o que falar, as cores são sempre lindas, duram muito e deixam os lábios hidratados. O que gosto mais é que o efeito mate fica bem sequinho, mas sem deixar os lábios ressecados.

Dia 11

Dia 11 – Peach Parfait da Revlon
Um dia cheio de preguiça que quase não me maquiei e um batom que é quase um gloss. Depois de passar eu vi mais brilho do que cor e mesmo assim tive que passar várias camadas pra começar a sentir alguma diferença. Definitivamente vai demorar pra querer usar de novo… a textura é cremosa e, por conta das várias camadas, a boca fica meio “caca”, pegajosa. Não fiquei feliz! 😦

Dia 12

Dia 12 – Coralíssima – Quem Disse Berenice
Amo de paixão essa cor da Quem Disse. Também é outra marca que tem meus “mates” favoritos. Além de cores sempre alegres e que chamam bastante atenção o acabamento é sequinho, mas sempre com leve brilho para deixar os lábios com um aspecto saudável!

Dia 13

Dia 13 – Tutti Frutti da Avon (Colortrend)
Não lembrava que tinha essa cor (eee, valeu desafio!) e adorei! Acho que o que me mantinha longe desse batom é que a cor que ele aparenta ter não é a que fica nos lábios (grazadeus!). Na foto não dá pra ver bem, mas na embalagem o batom rosa do batom parece estar meio “sujo” de brilhos amarelos (não dourado). Uma coisa bem esquisita! Mas é isso, dei outra chance pra ele, e agora já sei que é amor! ❤
Único porém: não dura muito e tive que reaplicar umas três vezes durante o dia.

Dia 14

Dia 14 – Número 49 da Vult
Vou ser cricri, me aguentem. Só tive três batons da Vult na vida e NÃO consigo me apaixonar por eles. Aliás, um deles vocês não terão a oportunidade de ver porque meu cachorro comeu 😦 ! Por que não gosto da marca: primeiro porque adoro nomes fofos de batom (isso me diverte!) e não sou boa para decorar números (ok, ok, tô sendo chata). Segundo porque QUE EMBALAGEM PRECÁRIA! Gente, não teve um deles que não se arrebentou na minha bolsa durante um dia corrido em São Paulo. Esse mesmo de hoje está todo torto e me deu o maior trabalho para passar. E não venham me dizer que eu sou descuidada porque tenho um espacinho todo especial para os meus batons na bolsa! A embalagem é fraca, quebra e racha fácil, o produto fica torto com qualquer sacolejo de metrô e nunca dei de cara com uma cor deles que me fizesse suspirar. Sujo toda minha mão pra passar e sou dessas que não tem paciência pra pincelzinho de lábio logo cedo!
E só pra ninguém dizer que eu não disse nada de bom dele: a cor é bonita e a textura é gostosa nos lábios.

É isso! 🙂